A FÁBRICA

Novembro 22 2007
O seleccionador português de futebol abandonou ontem energicamente a sala de imprensa do estádio do Dragão, depois de ter conseguido a qualificação para o Euro2008, e repudiou todas as críticas feitas pela comunicação social nos últimos jogos. “Portugal consegue a qualificação e o burro sou eu? O ruim sou eu? E Portugal qualificou onde? Na baía das almas? Ou vocês estão mal acostumados ou então não sei”, atirou Luiz Felipe Scolari, visivelmente irritado com as perguntas dos jornalistas.
O seleccionador explicou que Portugal esteve 11 jogos sem perder, conseguiu nova qualificação num “grupo complicado” e fez hoje, no empate com a Finlândia, uma “exibição boa” dentro daquilo que tinham planeado. “Porque não fizemos nenhum golo? Se não estivesse lá o guarda-redes, se calhar teríamos feito. Não percebo como vocês dizem que a Finlândia é ruim, a Sérvia é ruim, a Polónia é ruim ou a Bélgica é ruim. Mas pronto, acho que fomos maus. Se querem, fomos maus. Peço desculpa, mas não preciso de estar aqui”, voltou a responder Scolari.
O seleccionador, que conseguiu estar presente na final do Europeu de 2004 e atingiu o quarto lugar no Mundial da Alemanha em 2006 ao serviço de Portugal explicou que é sempre “preciso sofrer para atingir qualquer qualificação” e aplaudiu o comportamento dos jogadores e também do público que lotou o Dragão.
“Pelo amor de Deus, vou-me sentir desiludido por me qualificar? Eu estou é muito feliz. Alguns entendiam que a torcida do Porto não nos apoiava, mas hoje deram um grande exemplo. Foram espectaculares, como são sempre. Este foi o melhor estádio, pelo público, que jogámos nos últimos três anos. Será que vocês não conseguem ver nada de bom naquilo que nós fazemos?”.
Luiz Felipe Scolari questionou ainda os jornalistas: “Será que só tem porcaria e ruindade no nosso trabalho?”. Sobre o jogo, o treinador brasileiro explicou que Portugal conseguiu uma “exibição muito boa” dentro daquilo que estava planeado e lembrou que não poderia atacar-se muito, já que um “erro poderia ser fatal”. “Tivemos algumas precauções, é certo. Mas criámos muitas oportunidades de golo, ainda que não tantas como em outras ocasiões. Mas sabíamos que seria preciso sofrer. Agora, Portugal tem-se qualificado desde 1996, mas temos de perceber que a selecção sofreu uma reformulação e tivemos muitas lesões”, explicou também.
Luiz Felipe Scolari saudou ainda o primeiro jogo de Pepe – “óptima estreia, com óptima personalidade” - e justificou algumas alterações feitas no “onze” base.
“Estava a chover e o campo estava pesado. Depois, a Finlândia tem oito jogadores muito altos e que batalham muito. Contra a Arménia abrimos o meio-campo e foi por isso que o seleccionador da Finlândia mudou a equipa. Mas porque me massacram a mim e não ao treinador finlandês. Eles fizeram alguma coisa?”.
Antes de abandonar a sala, Luiz Felipe Scolari afirmou ainda que faz “mais por Portugal do que alguma vez” fez pelo Brasil, seu país Natal. “Ninguém me defendeu. Eu faço mais por Portugal do que alguma vez fiz pelo Brasil. Não compreendo”, concluiu.
publicado por armando ésse às 09:48
Tags:

mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
15
17

18
19
23
24



pesquisar
 
blogs SAPO