A FÁBRICA

Maio 13 2008

Muitos comentadores, devem pensar que a única razão de eu ter um blog, são os comentários. Por isso, não perdem a oportunidade de gastar o seu precioso tempo, a escrever não-importa-o-quê, na caixa de comentários.
Sou incapaz de conceber um blog sem comentários e no dia em que um texto meu, tiver menos de vinte comentários, este blog acaba. É melhor esquecerem a piada dos vinte comentários.
Ler os comentários é um exercício intelectual incomparável e são resmas deles, contando-se às dúzias, os exemplos de excelentes comentários, que serviriam para ilustrar o post, por isso vou citar, apenas, alguns:
-LOL...
-Bom post!
-Continua o excelente trabalho!
-Comunistas!!!
-Parabéns, excelente blogue!
-Blogue de merda!!!!
-Fascista!!!...
-Gostei de te ler...!
-Não escreves um C....!
Depois há os comentários mais elaborados, culturalmente mais relevantes e mais ridículos , com um total desconhecimento de quem sou:
-Se fosse com o teu FC Porto, não falavas assim!
-Um beijo com sabor a pêssego acabado de colher...
-Se fosse com o Paulo Portas, não escrevias isto...
-Portista reles!...
-Pois, pois...Um poster com o pinto da costa é que era bão!
Este último comentário, foi a gota que fez transbordar o tanque e que me deu a motivação para, finalmente, escrever este post.
Que dizer de um comentário destes?
Uma das coisas que têm em comum estes comentários, é que acabam sempre ou com reticências ou com um ponto de exclamação e são assinados por uma cáfila que prolifera na blogosfera de nome Anonymous.
Contudo, estes dromedários, são conscientes no ponto, de considerar ultrajante para eles, assinar aquilo que escrevem. Têm razão e deviam ter vergonha. Quanto às reticências, pode-se compreender a sua utilização, pois como normalmente não dizem nada no seu comentário, eventualmente quererão dizer, que vão continuar a nada dizer, num-outro-blog-qualquer. Agora, o ponto de exclamação faz-me espécie: será que ficam admirados com a qualidade do seu comentário ou será que ficam espantados com a parvoíce do que escrevem?
Meus amigos, se não são capazes de no mínimo estruturar uma ideia, por favor, não poluam a caixa de comentários.
Um dia destes, escrevi um comentário, num blog em que sou visita frequente, e como ele têm muito a ver com aquilo que eu vos quero transmitir, fica mais ou menos aqui, o que lá escrevi.
Antes de fazer, qualquer comentário, a maioria das pessoas, deveria conhecer o principal ensinamento de Wittgenstein, que é, se não sabe falar de uma coisa, cale-se, que é como quem diz, se não sabe escrever, não se dê ao trabalho de o fazer.
Hoje é frequente dizer-se, e por isso a qualidade da crítica e dos comentários é cada vez pior, que todas as opiniões são respeitáveis. Sobre isso li há um ou dois anos atrás, o livro “Os Dez Mandamentos do Século XXI”, do filósofo espanhol Fernando Savater, no qual ele escrevia, as palavras são minhas, que é um absoluto disparate, dizer-se que todas as opiniões são respeitáveis. São as pessoas e não as crenças, que são respeitáveis, porque senão, a humanidade não teria podido dar um único passo em frente. Isto como é óbvio, deve-se aplicar, neste caso, aos comentários.
Mas a falta de qualidade da crítica e dos comentários pode também ser devido ao facto, como escreveu Pino Aprile de “o homem moderno viver para estupidificar”. Este jornalista italiano, depois de ter feito uma entrevista a Konrad Lorenz, teve a ideia de escrever um livro, a que chamou, “O Elogio do Imbecil”.
Conclui Pino Aprile no seu livro, que os inteligentes construíram o mundo, mas quem desfruta dele são os imbecis.
Pelos muitos comentários que li ao longo destes quase quatro anos de blogger, estou inclinado a dar razão a Pino Aprile.
publicado por armando ésse às 09:48
Tags:

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

15
16

22



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO