A FÁBRICA

Janeiro 25 2005


A edição de Janeiro da revista espanhola "Qué Leer" dá destaque à "escritora" portuguesa Margarida Rebelo Pinto, mas não pelas razões mais recomendáveis.

O colunista Aníbal Lector diz ter conhecido recentemente Margarida Rebelo Pinto num hotel em Espanha, onde a "escritora" terá assegurado que, graças ao seu livro " Alma de Pássaro", "Portugal desatou a ler, porque o mercado cresceu 25 por cento e que ela própria se tinha tornado um fenómeno social e cultural mais importante que os própios livros".

Aníbal Lector termina a crónica pedindo " a quem de direito que crie uma polícia literária que detenha e julgue as pessoas" que fazem declarações deste teor.

Estou consigo, Lector, venha a Polícia literária.

Fonte:Público

publicado por armando ésse às 13:15

Janeiro 25 2005


A edição de Janeiro da revista espanhola "Qué Leer" dá destaque à "escritora" portuguesa Margarida Rebelo Pinto, mas não pelas razões mais recomendáveis.

O colunista Aníbal Lector diz ter conhecido recentemente Margarida Rebelo Pinto num hotel em Espanha, onde a "escritora" terá assegurado que, graças ao seu livro " Alma de Pássaro", "Portugal desatou a ler, porque o mercado cresceu 25 por cento e que ela própria se tinha tornado um fenómeno social e cultural mais importante que os própios livros".

Aníbal Lector termina a crónica pedindo " a quem de direito que crie uma polícia literária que detenha e julgue as pessoas" que fazem declarações deste teor.

Estou consigo, Lector, venha a Polícia literária.

Fonte:Público

publicado por armando ésse às 13:15

Janeiro 25 2005




No dia 25 de Janeiro de 2004 no jogo Guimarães-Benfica, Fehér sorri para o árbitro que lhe estava a mostrar um cartão amarelo, passa a mão esquerda pelo cabelo, tem a direita no fundo das costas, curva-se e cai de costas.Assim ficou.

Há um ano atrás Fehér(1979-2004) fazia mil e um planos para a sua vida. Mas aquele factídica noite chuvosa em Guimarães, tinha sido a noite escolhida para partir.De nada adiantou a luta dos profissionais de saúde, na luta contra o destino.Fica a saudade e o sorriso. Ninguém apagará aquele sorriso.

publicado por armando ésse às 09:49

Janeiro 25 2005




No dia 25 de Janeiro de 2004 no jogo Guimarães-Benfica, Fehér sorri para o árbitro que lhe estava a mostrar um cartão amarelo, passa a mão esquerda pelo cabelo, tem a direita no fundo das costas, curva-se e cai de costas.Assim ficou.

Há um ano atrás Fehér(1979-2004) fazia mil e um planos para a sua vida. Mas aquele factídica noite chuvosa em Guimarães, tinha sido a noite escolhida para partir.De nada adiantou a luta dos profissionais de saúde, na luta contra o destino.Fica a saudade e o sorriso. Ninguém apagará aquele sorriso.

publicado por armando ésse às 09:49

Janeiro 25 2005




Havia nele a máxima tensão.

Como um clássico ordenava a própria força

sabia a contenção e era explosão

havia nele o touro e havia corça.



Não era só instinto era ciência

magia e teoria já só prática.

Havia nele a arte e a inteligência

do puro jogo e sua matemática.



Buscava o golo mais que golo:só palavra.

Abstracção.Ponto no espaço.Teorema

Despido do supérfluo rematava

e então não era golo: era poema.



Manuel Alegre

publicado por armando ésse às 07:50

Janeiro 25 2005




Havia nele a máxima tensão.

Como um clássico ordenava a própria força

sabia a contenção e era explosão

havia nele o touro e havia corça.



Não era só instinto era ciência

magia e teoria já só prática.

Havia nele a arte e a inteligência

do puro jogo e sua matemática.



Buscava o golo mais que golo:só palavra.

Abstracção.Ponto no espaço.Teorema

Despido do supérfluo rematava

e então não era golo: era poema.



Manuel Alegre

publicado por armando ésse às 07:50

mais sobre mim
Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

16
17
18
22

23

30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO