A FÁBRICA

Janeiro 04 2005


Cavaco Silva recusou a utilização da sua fotografia, em que aparecia ao lado dos anteriores primeiro-ministros e líderes do PSD e obriga a mudar "outdoors". (Lusa)

publicado por armando ésse às 14:59

Janeiro 04 2005


Cavaco Silva recusou a utilização da sua fotografia, em que aparecia ao lado dos anteriores primeiro-ministros e líderes do PSD e obriga a mudar "outdoors". (Lusa)

publicado por armando ésse às 14:59

Janeiro 04 2005
Se não for transformada numa ferramenta, ao alcance de qualquer cretino, a hierarquia não poderá nem existir nem resistir. (Pino Aprile)
publicado por armando ésse às 13:13

Janeiro 04 2005
Se não for transformada numa ferramenta, ao alcance de qualquer cretino, a hierarquia não poderá nem existir nem resistir. (Pino Aprile)
publicado por armando ésse às 13:13

Janeiro 03 2005
No livro "Breve História de Quase Tudo" diz Bill Bryson,

"... Se imaginássemos a história da Terra , com os seus 4500 milhões de anos comprimidos num dia normal de 24 horas, a vida começaria muito cedo, por volta das quatro da madrugada, com o aparecimento dos primeiros organismos unicelulares simples, mas depois não avança mais durante as 16 horas seguintes.

Só quase às 20h30, depois de terem passado cinco sextos do dia, é que o planeta tem alguma coisa concreta para mostrar ao universo, uma fina camada de irrequietos micróbios. Depois, finalmente,aparecem as primeiras plantas marinhas, seguidas, 20 minutos mais tarde, das primeiras alforrecas e da enigmática fauna ediacarana... Às 21h04 entram em cena os trilobites... Pouco tempo depois, a menos de duas horas do fim do dia, surgem os primeiros seres terrestres.

Graças a uns dez minutos de clima ameno, às 22h24 a Terra está coberta das grandes florestas carboníferas cujos resíduos nos fornecem todo o nosso carvão e manifestam-se os primeiros insectos voadores. Os dinossauros aparecem em cena, caminhando pesadamente, pouco antes das 23h00 e aguentam o balanço durante três quartos de hora. Aos 21 minutos para a meia-noite desaparecem, e começa a era dos mamíferos. Os humanos surgem um minuto e 17 segundos antes da meia-noite. Nesta escala, a totalidade da nossa existência registada não seria mais do que alguns segundos, e a duração de uma única vida humana apenas um instante..."




Conclusão nem tempo tinha para começar a dedilhar este post.





publicado por armando ésse às 13:02

Janeiro 03 2005
No livro "Breve História de Quase Tudo" diz Bill Bryson,

"... Se imaginássemos a história da Terra , com os seus 4500 milhões de anos comprimidos num dia normal de 24 horas, a vida começaria muito cedo, por volta das quatro da madrugada, com o aparecimento dos primeiros organismos unicelulares simples, mas depois não avança mais durante as 16 horas seguintes.

Só quase às 20h30, depois de terem passado cinco sextos do dia, é que o planeta tem alguma coisa concreta para mostrar ao universo, uma fina camada de irrequietos micróbios. Depois, finalmente,aparecem as primeiras plantas marinhas, seguidas, 20 minutos mais tarde, das primeiras alforrecas e da enigmática fauna ediacarana... Às 21h04 entram em cena os trilobites... Pouco tempo depois, a menos de duas horas do fim do dia, surgem os primeiros seres terrestres.

Graças a uns dez minutos de clima ameno, às 22h24 a Terra está coberta das grandes florestas carboníferas cujos resíduos nos fornecem todo o nosso carvão e manifestam-se os primeiros insectos voadores. Os dinossauros aparecem em cena, caminhando pesadamente, pouco antes das 23h00 e aguentam o balanço durante três quartos de hora. Aos 21 minutos para a meia-noite desaparecem, e começa a era dos mamíferos. Os humanos surgem um minuto e 17 segundos antes da meia-noite. Nesta escala, a totalidade da nossa existência registada não seria mais do que alguns segundos, e a duração de uma única vida humana apenas um instante..."




Conclusão nem tempo tinha para começar a dedilhar este post.





publicado por armando ésse às 13:02

Janeiro 02 2005


Só agora tive tempo disponível para visitar a Exposição da Paula Rego, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves. É verdade que sou apenas mais um das cem mil pessoas que visitaram a exposição,(e toda a gente está farta de ler sobre o assunto...) mas realmente a exposição é um balsâmo para a visão. Na presente exposição Paula Rego buscou inspiração em diversas fontes: nos amigos, nos livros, nas histórias que ouviu em criança, na realidade portuguesa, sobretudo aquela que conheceu em criança, marcada por uma forte ruralidade. Exposição em exibição até ao dia 23 de Janeiro.

publicado por armando ésse às 15:21

Janeiro 02 2005


Só agora tive tempo disponível para visitar a Exposição da Paula Rego, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves. É verdade que sou apenas mais um das cem mil pessoas que visitaram a exposição,(e toda a gente está farta de ler sobre o assunto...) mas realmente a exposição é um balsâmo para a visão. Na presente exposição Paula Rego buscou inspiração em diversas fontes: nos amigos, nos livros, nas histórias que ouviu em criança, na realidade portuguesa, sobretudo aquela que conheceu em criança, marcada por uma forte ruralidade. Exposição em exibição até ao dia 23 de Janeiro.

publicado por armando ésse às 15:21

Janeiro 02 2005


A casa de Serralves é um edifício Deco das décadas de 30 e 40 do século passado. Originalmente feito para a habitação, a Casa e o Parque são a realização do sonho de Carlos Alberto Cabral (1895-1968), 2º Conde de Vizela.

publicado por armando ésse às 14:22

Janeiro 02 2005


A casa de Serralves é um edifício Deco das décadas de 30 e 40 do século passado. Originalmente feito para a habitação, a Casa e o Parque são a realização do sonho de Carlos Alberto Cabral (1895-1968), 2º Conde de Vizela.

publicado por armando ésse às 14:22

mais sobre mim
Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

16
17
18
22

23

30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO