A FÁBRICA

Julho 15 2005

Praga, 1968, Josef Koudelka.

Quando a 21 de Agosto de 1968, os tanques do Pacto de Varsóvia vieram destruir a "Primavera" de Dubecek que se vivia em Praga, o acontecimento ficou registado graças, em grande parte a Josef Koudelka, um dos milhares de anónimos que defenderam nas ruas a liberdade e a independência do seu país. Koudelka só reconhecerá a autoria das fotos de Praga em 1984, depois da morte do seu pai, que tinha permanecido na Checoslováquia quando da sua partida para o exílio em 1970.
Josef Koudelka nasceu em 10 de Janeiro de 1938 em Boskovice, Checoslováquia.Estudou engenharia na Universidade Técnica de Praga entre 1956 e 1961, começando a fotografar a partir de 61/62:a família e os amigos, ciganos na Checoslováquia. Em 1967, depois de seis anos de profissão, demite-se do emprego de engenheiro aeronáutico para se dedicar à fotografia. Em 1968 está em Praga, quando os tanques entram na cidade. Koudelka segue-os por toda a parte, registando em imagens todos os momentos: a resistência, a capitulação de um sonho, as faces da tragédia. As suas fotografias conseguem sair do país e chegam à Magnum. No ano seguinte essas imagens correm mundo sem que o seu autor seja revelado. É ainda como anónimo que Josef Koudelka recebe a medalha de Ouro do Robert Capa Overseas Press Club, em 1969.Em 1970 parte para o exílio na Inglaterra. Torna-se membro associado da agência Magnum em 1971 e membro efectivo em 1974.Em 1987 naturalizou-se francês.Viajante incansável, Josef Koudelka já visitou por duas vezes Portugal, uma nos anos setenta e outra em 2001, tendo nesta última vez, feito cerca de 12.000 quilómetros, para fotografar sobretudo paisagens. Continua no activo.
publicado por armando ésse às 09:24

Julho 15 2005

Praga, 1968, Josef Koudelka.

Quando a 21 de Agosto de 1968, os tanques do Pacto de Varsóvia vieram destruir a "Primavera" de Dubecek que se vivia em Praga, o acontecimento ficou registado graças, em grande parte a Josef Koudelka, um dos milhares de anónimos que defenderam nas ruas a liberdade e a independência do seu país. Koudelka só reconhecerá a autoria das fotos de Praga em 1984, depois da morte do seu pai, que tinha permanecido na Checoslováquia quando da sua partida para o exílio em 1970.
Josef Koudelka nasceu em 10 de Janeiro de 1938 em Boskovice, Checoslováquia.Estudou engenharia na Universidade Técnica de Praga entre 1956 e 1961, começando a fotografar a partir de 61/62:a família e os amigos, ciganos na Checoslováquia. Em 1967, depois de seis anos de profissão, demite-se do emprego de engenheiro aeronáutico para se dedicar à fotografia. Em 1968 está em Praga, quando os tanques entram na cidade. Koudelka segue-os por toda a parte, registando em imagens todos os momentos: a resistência, a capitulação de um sonho, as faces da tragédia. As suas fotografias conseguem sair do país e chegam à Magnum. No ano seguinte essas imagens correm mundo sem que o seu autor seja revelado. É ainda como anónimo que Josef Koudelka recebe a medalha de Ouro do Robert Capa Overseas Press Club, em 1969.Em 1970 parte para o exílio na Inglaterra. Torna-se membro associado da agência Magnum em 1971 e membro efectivo em 1974.Em 1987 naturalizou-se francês.Viajante incansável, Josef Koudelka já visitou por duas vezes Portugal, uma nos anos setenta e outra em 2001, tendo nesta última vez, feito cerca de 12.000 quilómetros, para fotografar sobretudo paisagens. Continua no activo.
publicado por armando ésse às 09:24

mais sobre mim
Julho 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14

17
18
19
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO