A FÁBRICA

Janeiro 28 2008

A primeira longa-metragem de Orson Welles, terminou o filme apenas com vinte e cinco anos de idade, é provavelmente o mais respeitado, o mais analisado de todos os filmes. O filme Citizen Kane (O Mundo a Seus Pés, na versão portuguesa) foi considerado em 1998 a melhor película de todos os tempos pelo American Film Institute. Apesar da ambiguidade e do ridículo, de catalogar um filme como “o melhor filme da história do cinema”, O Mundo a seus Pés, é indiscutivelmente uma obra-prima cinematográfica.
A película retrata muito dos aspectos da vida americana, política, sexo, amizade e traição, juventude e velhice, que faz dele um filme para todas as gerações.
O filme conta a história de Charles Foster Kane, que nascendo numa família humilde, encontra a riqueza numa mina de ouro, que a sua mãe herdou. Chegado à idade adulta, começa a edificar um império constituído por jornais e uma estação de rádio populistas. Depois casa, casa com a sobrinha do presidente americano e candidata-se a governador. No entanto é derrotado. À mediada que o poder lhe foge, Kane torna-se violento para com a esposa e a amante e acaba por morrer sozinho no seu palácio, sonhando com a simplicidade da sua infância.

Origem: E.U.A (Mercury, RKO, Película a preto e branco)
Data de estreia: 1 de Maio 1941
Realização: Orson Wells
Produção: Orson Wells, Richard Baer e George Schaefer
Argumento: Herman J. Mankiewicz e Orson Wells.
Fotografia: Gregg TolandMúsica: Bernard Hermann, Charlie Barnet e Pepe Guizar
Elenco: Orson Welles, Joseph Cotton, Dorothy Comingore. Agnes Moorehead, Ruth Warrick, Ray Collins, Erskine Sanford, Everett Sloan, Paul Stewart e Charles Bennett.
publicado por armando ésse às 10:59
Tags:

Janeiro 28 2008

A primeira longa-metragem de Orson Welles, terminou o filme apenas com vinte e cinco anos de idade, é provavelmente o mais respeitado, o mais analisado de todos os filmes. O filme Citizen Kane (O Mundo a Seus Pés, na versão portuguesa) foi considerado em 1998 a melhor película de todos os tempos pelo American Film Institute. Apesar da ambiguidade e do ridículo, de catalogar um filme como “o melhor filme da história do cinema”, O Mundo a seus Pés, é indiscutivelmente uma obra-prima cinematográfica.
A película retrata muito dos aspectos da vida americana, política, sexo, amizade e traição, juventude e velhice, que faz dele um filme para todas as gerações.
O filme conta a história de Charles Foster Kane, que nascendo numa família humilde, encontra a riqueza numa mina de ouro, que a sua mãe herdou. Chegado à idade adulta, começa a edificar um império constituído por jornais e uma estação de rádio populistas. Depois casa, casa com a sobrinha do presidente americano e candidata-se a governador. No entanto é derrotado. À mediada que o poder lhe foge, Kane torna-se violento para com a esposa e a amante e acaba por morrer sozinho no seu palácio, sonhando com a simplicidade da sua infância.

Origem: E.U.A (Mercury, RKO, Película a preto e branco)
Data de estreia: 1 de Maio 1941
Realização: Orson Wells
Produção: Orson Wells, Richard Baer e George Schaefer
Argumento: Herman J. Mankiewicz e Orson Wells.
Fotografia: Gregg TolandMúsica: Bernard Hermann, Charlie Barnet e Pepe Guizar
Elenco: Orson Welles, Joseph Cotton, Dorothy Comingore. Agnes Moorehead, Ruth Warrick, Ray Collins, Erskine Sanford, Everett Sloan, Paul Stewart e Charles Bennett.
publicado por armando ésse às 10:59
Tags:

Janeiro 28 2008

Orson Welles nasceu a 6 de Maio de 1915 em Kenosha, Wisconsin, nos EUA. Em 1937, com John Houseman, fundou o Mercury Theater, em Nova Iorque, desenvolvendo um repertório de produções que incluia versões modernas dos clássicos.
A 30 de Outubro de 1938, lançou o pânico entres os ouvintes americanos,(que pensaram que os EUA estavam a ser invadidos por extraterrestres), ao transmitir em directo pela rádio a adaptação da obra de H.G. Wells, A Guerra dos Mundos.
Considerado o «enfant terrible» do cinema americano, iniciou a sua carreira como actor e encenador, ainda adolescente, devido à sua paixão por Shakespeare, o que mais tarde originou três filmes: Macbeth (1948), Othello (1949-1952) e As Badaladas da Meia-Noite (1966). Estreou-se na realização com O Mundo a Seus Pés (1941), produzido e protagonizado por si e com a colaboração no argumento de Mankiewicz.
A sua filmografia inclui O Quarto Mandamento (1942), Journey Into Fear (1943), A Dama de Xangai (1948), protagonizado por Rita Hayworth, Sede do Mal (1958), O Processo (1963) e The Imortal History (1968). Fez poucos filmes em Hollywood, tendo trabalhado sobretudo na Europa. Nunca recebeu um Óscar pelos seus filmes. Em 1966, foi homenageado com um Óscar especial de carreira, atribuído pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas. Morreu em Hollywood, a 10 de Outubro de 1985.
publicado por armando ésse às 10:00
Tags:

Janeiro 28 2008

Orson Welles nasceu a 6 de Maio de 1915 em Kenosha, Wisconsin, nos EUA. Em 1937, com John Houseman, fundou o Mercury Theater, em Nova Iorque, desenvolvendo um repertório de produções que incluia versões modernas dos clássicos.
A 30 de Outubro de 1938, lançou o pânico entres os ouvintes americanos,(que pensaram que os EUA estavam a ser invadidos por extraterrestres), ao transmitir em directo pela rádio a adaptação da obra de H.G. Wells, A Guerra dos Mundos.
Considerado o «enfant terrible» do cinema americano, iniciou a sua carreira como actor e encenador, ainda adolescente, devido à sua paixão por Shakespeare, o que mais tarde originou três filmes: Macbeth (1948), Othello (1949-1952) e As Badaladas da Meia-Noite (1966). Estreou-se na realização com O Mundo a Seus Pés (1941), produzido e protagonizado por si e com a colaboração no argumento de Mankiewicz.
A sua filmografia inclui O Quarto Mandamento (1942), Journey Into Fear (1943), A Dama de Xangai (1948), protagonizado por Rita Hayworth, Sede do Mal (1958), O Processo (1963) e The Imortal History (1968). Fez poucos filmes em Hollywood, tendo trabalhado sobretudo na Europa. Nunca recebeu um Óscar pelos seus filmes. Em 1966, foi homenageado com um Óscar especial de carreira, atribuído pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas. Morreu em Hollywood, a 10 de Outubro de 1985.
publicado por armando ésse às 10:00
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Bob Hope

Auditório: Coconut Grove do Hotel Ambassador (Los Angeles)

Filme: Mrs. Miniver, de William Wyler

Realizador: William Wyler, por Mrs. Miniver

Actor: James Cagney, por Yankee Doodle Dandy

Actriz: Greer Garson, por Mrs. Miniver

Actor Secundário: Van Helfin, por Johnny Eager

Actriz Secundária: Teresa Wright, por Mrs. Miniver

História Original: Emeric Pressburger, por The Invaders

Argumento Original: Michael Kanin e Ring Lardner Jr., por Woman of the year

Argumento Adaptado: George Froeschel, James Hilton, Claudine West e Arthur Wimperies, por Mrs. Miniver

Fotografia: Joseph Ruttenberg, por Mrs Miniver (P/B); e Leon Shamroy, por The black swan (Cor)

Decoração: Richard Day, Joseph Wright e Thomas Little, por This above all (P/B); e por My gal Sal (Cor)

Som: Nathan Levinson, por Yankee Doodle Dandy

Canção: Irving Berlin (música e letra) por “White Christmas”, em Holyday Inn

Banda Sonora (filme dramático ou comédia): Max Steiner, por Now, voyager

Banda Sonora (filme musical): Ray Heindorf e Heinz Roemheld, por Yankee Doodle Dandy

Montagem: Daniel Mandell, por The pride of the Yankees

Efeitos Especiais: Farciot Edouart, Gordon Jennings, William L. Pereira e Louis Mesenkop, por Reap the wild wind

Curta-metragem de uma Bobina: Speaking of animals and their families, da Paramount Pictures

Curta-metragem de duas Bobinas: Beyond the line of duty, da Warner Bros.

Curta-metragem de Animação: Der Fuehrer’s face, de Walt Disney

Documentário: The battle of Midway, da United States Navy; Kokoda front line, da Australian News & Information Bureau; Moscow strikes back, de Artkino; e Prelude to war, da United States Army Special Services

Memorial Irving G. Thalberg: Sidney Franklin

Prémios especiais: Charles Boyer, pelo seu trabalho no estabelecimento da French Research Foundation em Los Angeles; Noel Coward, pela produção de In which we serve; e os estúdios Metro-Goldwyn-Mayer, pelo seu reflexo do modo de vida americano na série Andy Hardy.
publicado por armando ésse às 09:59
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Bob Hope

Auditório: Coconut Grove do Hotel Ambassador (Los Angeles)

Filme: Mrs. Miniver, de William Wyler

Realizador: William Wyler, por Mrs. Miniver

Actor: James Cagney, por Yankee Doodle Dandy

Actriz: Greer Garson, por Mrs. Miniver

Actor Secundário: Van Helfin, por Johnny Eager

Actriz Secundária: Teresa Wright, por Mrs. Miniver

História Original: Emeric Pressburger, por The Invaders

Argumento Original: Michael Kanin e Ring Lardner Jr., por Woman of the year

Argumento Adaptado: George Froeschel, James Hilton, Claudine West e Arthur Wimperies, por Mrs. Miniver

Fotografia: Joseph Ruttenberg, por Mrs Miniver (P/B); e Leon Shamroy, por The black swan (Cor)

Decoração: Richard Day, Joseph Wright e Thomas Little, por This above all (P/B); e por My gal Sal (Cor)

Som: Nathan Levinson, por Yankee Doodle Dandy

Canção: Irving Berlin (música e letra) por “White Christmas”, em Holyday Inn

Banda Sonora (filme dramático ou comédia): Max Steiner, por Now, voyager

Banda Sonora (filme musical): Ray Heindorf e Heinz Roemheld, por Yankee Doodle Dandy

Montagem: Daniel Mandell, por The pride of the Yankees

Efeitos Especiais: Farciot Edouart, Gordon Jennings, William L. Pereira e Louis Mesenkop, por Reap the wild wind

Curta-metragem de uma Bobina: Speaking of animals and their families, da Paramount Pictures

Curta-metragem de duas Bobinas: Beyond the line of duty, da Warner Bros.

Curta-metragem de Animação: Der Fuehrer’s face, de Walt Disney

Documentário: The battle of Midway, da United States Navy; Kokoda front line, da Australian News & Information Bureau; Moscow strikes back, de Artkino; e Prelude to war, da United States Army Special Services

Memorial Irving G. Thalberg: Sidney Franklin

Prémios especiais: Charles Boyer, pelo seu trabalho no estabelecimento da French Research Foundation em Los Angeles; Noel Coward, pela produção de In which we serve; e os estúdios Metro-Goldwyn-Mayer, pelo seu reflexo do modo de vida americano na série Andy Hardy.
publicado por armando ésse às 09:59
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Bob Hope

Auditório: Biltmore Bowl do Hotel Biltmore (Los Angeles)

Filme: How green was my valley!, de John Ford

Realizador: John Ford, por How green was my valley!

Actor: Gary Cooper, por Sergeant York

Actriz: Joan Fontaine, por Suspicion

Actor Secundário: Donal Crisp, por How green was my valley!

Actriz Secundária: Mary Astor, por The great lie

História original: Harry Segall, por Here comes Mr. Jordan

Argumento Original: Hermannn J. Mankiewicz e Orson Welles, por Citizen Kane

Argumento Adaptado: Sidney Buchman e Seton I. Miller, here comes Mr Jordan

Fotografia: Arthur Miller, por How green was my valley!

Decoração: Richard Day, Nathan Juran e Thomas Little, por How green was my valley!

Som: Jack Whitney, por That Hamilton woman

Canção: Jerome Kern (música) e Óscar Hammerstein II (letra) por “The last time i saw Paris”, em Lady be good

Banda Sonora (filme dramático ou comédia): Bernard Hermann, por All that money can buy

Banda Sonora (Filme musical): Frank Churchill e Oliver Wallace, por Dumbo

Montagem: William Holmes, por Sergeant York

Efeitos Especiais: Farciot Edouart, Gordon Jennings e Louis Mesenkop, por I wanted wings

Curta-metragem de uma Bobina: Of pups and puzzles, da Metro-Goldwyn-Mayer

Curta-metragem de duas Bobinas: Main Street on the march, da Metro-Goldwyn-Mayer

Curta-metragem de Animação: Lend a paw, de Walt Disney

Curta metragem documental:
Churchill's island, da National Film Board of Canada

Memorial Irving G. Thalberg: Walt Disney

Prémios especiais: Rey Scott, pela realização na China do filme Kukan; o Ministério de Informação da Grã-Bretanha pela dramática apresentação dos heróis da RAF no documental Target for tonight; Leopold Stokowski, pela criação artística e musical em Fantasia; e Walt Disney, William Garity, John N.A. Hawkins e a RCA, pelo seu contributo ao avanço do som cinematográfico com Fantasia.
publicado por armando ésse às 09:58
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Bob Hope

Auditório: Biltmore Bowl do Hotel Biltmore (Los Angeles)

Filme: How green was my valley!, de John Ford

Realizador: John Ford, por How green was my valley!

Actor: Gary Cooper, por Sergeant York

Actriz: Joan Fontaine, por Suspicion

Actor Secundário: Donal Crisp, por How green was my valley!

Actriz Secundária: Mary Astor, por The great lie

História original: Harry Segall, por Here comes Mr. Jordan

Argumento Original: Hermannn J. Mankiewicz e Orson Welles, por Citizen Kane

Argumento Adaptado: Sidney Buchman e Seton I. Miller, here comes Mr Jordan

Fotografia: Arthur Miller, por How green was my valley!

Decoração: Richard Day, Nathan Juran e Thomas Little, por How green was my valley!

Som: Jack Whitney, por That Hamilton woman

Canção: Jerome Kern (música) e Óscar Hammerstein II (letra) por “The last time i saw Paris”, em Lady be good

Banda Sonora (filme dramático ou comédia): Bernard Hermann, por All that money can buy

Banda Sonora (Filme musical): Frank Churchill e Oliver Wallace, por Dumbo

Montagem: William Holmes, por Sergeant York

Efeitos Especiais: Farciot Edouart, Gordon Jennings e Louis Mesenkop, por I wanted wings

Curta-metragem de uma Bobina: Of pups and puzzles, da Metro-Goldwyn-Mayer

Curta-metragem de duas Bobinas: Main Street on the march, da Metro-Goldwyn-Mayer

Curta-metragem de Animação: Lend a paw, de Walt Disney

Curta metragem documental:
Churchill's island, da National Film Board of Canada

Memorial Irving G. Thalberg: Walt Disney

Prémios especiais: Rey Scott, pela realização na China do filme Kukan; o Ministério de Informação da Grã-Bretanha pela dramática apresentação dos heróis da RAF no documental Target for tonight; Leopold Stokowski, pela criação artística e musical em Fantasia; e Walt Disney, William Garity, John N.A. Hawkins e a RCA, pelo seu contributo ao avanço do som cinematográfico com Fantasia.
publicado por armando ésse às 09:58
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Walter Wanger

Auditório: Biltmore Bowl do Hotel Biltmore (Los Angeles)

Filme: Rebecca, de Alfred Hitchcock

Realizador: John Ford, por The grapes of wrath

Actor: James Stewart, pot The Philladelphia story

Actriz: Ginger Rogers, por Kitty Foyle

Actor Secundário: Walter Brennan, por The westerner

Actriz Secundária: Jane Darwell, por The grapes of wrath

História Original: Benjamim Glazer e John S. Toldy, por Arise, my love

Argumento Original: Preston Sturges, por The great McGinty

Argumento Adaptado: Donald Odgen Stewart, The Philadelphia story

Fotografia: Georges Barnes, por Rebecca (P/B); e George Perinal, por The thief of Bagdad (Cor)

Decoração: Cedric Gibbons e Paul Groesse, por Pride and prejudice (P/B); e Vincent Korda, por The thief of Bagdad (Cor)

Som: Douglas Shearer, por Strike up the band

Canção: Leight Harline (música) e Ned Washington (letra) por “When you wish upon a star”, em Pinocchio

Banda Sonora: Alfred Newman, por Tin Pan Alley


Banda Sonora (partitura original): Leith Harline, Paul J. Smith e Ned Washington, por Pinocchio

Montagem: Anne Bauchens, por North Mounted Police

Efeitos especiais: Laurence Butler e Jack Whitney, por The thief of Bagdad

Curta-metragem de uma Bobina: Quincker ‘n a wink, de Pete Smith

Curta-metragem de duas Bobinas: Teddy, the rough ride, da Warner Bros.

Curta-metragem de Animação: Milky way, de Rudolph Ising

Prémios especiais: Bob Hope, em reconhecimento pelos seus serviços à indústria cinematográfica; e o Coronel Nat Levinson, pelo apoio à realização de filmes de entretenimento militar.
publicado por armando ésse às 09:57
Tags:

Janeiro 28 2008

Apresentação: Walter Wanger

Auditório: Biltmore Bowl do Hotel Biltmore (Los Angeles)

Filme: Rebecca, de Alfred Hitchcock

Realizador: John Ford, por The grapes of wrath

Actor: James Stewart, pot The Philladelphia story

Actriz: Ginger Rogers, por Kitty Foyle

Actor Secundário: Walter Brennan, por The westerner

Actriz Secundária: Jane Darwell, por The grapes of wrath

História Original: Benjamim Glazer e John S. Toldy, por Arise, my love

Argumento Original: Preston Sturges, por The great McGinty

Argumento Adaptado: Donald Odgen Stewart, The Philadelphia story

Fotografia: Georges Barnes, por Rebecca (P/B); e George Perinal, por The thief of Bagdad (Cor)

Decoração: Cedric Gibbons e Paul Groesse, por Pride and prejudice (P/B); e Vincent Korda, por The thief of Bagdad (Cor)

Som: Douglas Shearer, por Strike up the band

Canção: Leight Harline (música) e Ned Washington (letra) por “When you wish upon a star”, em Pinocchio

Banda Sonora: Alfred Newman, por Tin Pan Alley


Banda Sonora (partitura original): Leith Harline, Paul J. Smith e Ned Washington, por Pinocchio

Montagem: Anne Bauchens, por North Mounted Police

Efeitos especiais: Laurence Butler e Jack Whitney, por The thief of Bagdad

Curta-metragem de uma Bobina: Quincker ‘n a wink, de Pete Smith

Curta-metragem de duas Bobinas: Teddy, the rough ride, da Warner Bros.

Curta-metragem de Animação: Milky way, de Rudolph Ising

Prémios especiais: Bob Hope, em reconhecimento pelos seus serviços à indústria cinematográfica; e o Coronel Nat Levinson, pelo apoio à realização de filmes de entretenimento militar.
publicado por armando ésse às 09:57
Tags:

mais sobre mim
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO