A FÁBRICA

Agosto 13 2008

Quem tem mais de quarenta anos (na realidade não é preciso ter mais de quarenta anos), lembra-se certamente de na sua juventude ter lido o livro Os Filhos da Droga, da teenager Christiane F.
A personagem “ Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituta” é de novo notícia na Alemanha por ter voltado ao consumo de heroína e, segundo os jornais “Bild” e “BZ”, ter perdido a custódia do seu filho, Christiane de 11 anos.
O novo drama de Christiane Felscherinow, que tem 46 anos actualmente, teria começado no começo deste ano, quando ela e o namorado decidiram emigrar para Amesterdão, Holanda, levando o filho. Nesta cidade, Christiane teria voltado a consumir heroína e após uma zanga com o namorado, Christiane Felscherinow voltou no fim de Junho à Alemanha e, ainda no comboio, entregou o filho à Polícia Federal alemã. Segundo a imprensa alemã, amigos e conhecidos contam que Christiane tem procurado as antigas amizades da época das drogas, passando a noite na casa de amigos e frequenta uma praça de Berlim famosa como ponto de venda de estupefacientes. O tablóide “Bild” cita a mãe de Christiane, que teria visitado o neto duas vezes no abrigo infantil. De acordo com o periódico, a criança só poderá voltar ao convívio da mãe caso Christiane F. supere os seus problemas psiquiátricos e a dependência de drogas.
Após uma trajectória de repetidas tentativas de desintoxicação, Christiane parecia ter vencido a luta contra as drogas apesar de ter admitido, durante uma entrevista à televisão alemã em Maio do ano passado, que temia “recaídas”.
Christiane ainda disse que ingeria com frequência a metadona, um medicamento usado na terapia para dependentes de heroína.
“Tomo diariamente uma dose pequena”, afirmou, contando ter medo de enfrentar novos problemas que a impedissem de criar o seu filho. “De outra forma, não sei o que aconteceria”, disse Christiane F. na época. “A metadona é para mim uma segurança, para que eu não caia num buraco.”
Desempregada, disse sentir-se marginalizada pela sociedade, tendo como principal fonte de rendimento o dinheiro que recebe mensalmente pelos direitos do romance que a tornou famosa.
É razão para dizer: o que nasce torto, dificilmente se endireita.(Com BBC).
publicado por armando ésse às 10:24

Agosto 13 2008

Quem tem mais de quarenta anos (na realidade não é preciso ter mais de quarenta anos), lembra-se certamente de na sua juventude ter lido o livro Os Filhos da Droga, da teenager Christiane F.
A personagem “ Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituta” é de novo notícia na Alemanha por ter voltado ao consumo de heroína e, segundo os jornais “Bild” e “BZ”, ter perdido a custódia do seu filho, Christiane de 11 anos.
O novo drama de Christiane Felscherinow, que tem 46 anos actualmente, teria começado no começo deste ano, quando ela e o namorado decidiram emigrar para Amesterdão, Holanda, levando o filho. Nesta cidade, Christiane teria voltado a consumir heroína e após uma zanga com o namorado, Christiane Felscherinow voltou no fim de Junho à Alemanha e, ainda no comboio, entregou o filho à Polícia Federal alemã. Segundo a imprensa alemã, amigos e conhecidos contam que Christiane tem procurado as antigas amizades da época das drogas, passando a noite na casa de amigos e frequenta uma praça de Berlim famosa como ponto de venda de estupefacientes. O tablóide “Bild” cita a mãe de Christiane, que teria visitado o neto duas vezes no abrigo infantil. De acordo com o periódico, a criança só poderá voltar ao convívio da mãe caso Christiane F. supere os seus problemas psiquiátricos e a dependência de drogas.
Após uma trajectória de repetidas tentativas de desintoxicação, Christiane parecia ter vencido a luta contra as drogas apesar de ter admitido, durante uma entrevista à televisão alemã em Maio do ano passado, que temia “recaídas”.
Christiane ainda disse que ingeria com frequência a metadona, um medicamento usado na terapia para dependentes de heroína.
“Tomo diariamente uma dose pequena”, afirmou, contando ter medo de enfrentar novos problemas que a impedissem de criar o seu filho. “De outra forma, não sei o que aconteceria”, disse Christiane F. na época. “A metadona é para mim uma segurança, para que eu não caia num buraco.”
Desempregada, disse sentir-se marginalizada pela sociedade, tendo como principal fonte de rendimento o dinheiro que recebe mensalmente pelos direitos do romance que a tornou famosa.
É razão para dizer: o que nasce torto, dificilmente se endireita.(Com BBC).
publicado por armando ésse às 10:24

Agosto 13 2008

O “Baltimore Kid” tornou-se hoje no atleta com maior número de medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, depois de ganhar mais duas em Pequim. O nadador norte-americano bateu o recorde de medalhas de ouro ao vencer as finais dos 200m mariposa e da estafeta 4x200m livres com mais dois recordes mundiais (1m52s03 e 6m58s56), na piscina do Cubo de Água, em Pequim.
A grande figura dos Jogos Olímpicos de Pequim, fica assim a três medalhas de ouro de cumprir o seu objectivo de ganhar oito medalhas de ouro em Pequim e de bater o recorde do seu compatriota Mark Spitz, que conquistou sete medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1972.
Com onze medalhas de ouro em três Olimpíadas (Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008), Michael Phelps supera as nove medalhas douradas conquistadas por Carl Lewis, Mark Spitz ,Paavo Nurmi e Larissa Latynina.
A juntar a estas onze medalhas já conquistadas há o facto de cada vez que Michael Phelps entra na água, bater mais um recorde mundial. Neste momento já bateu por 26 vezes os recordes mundiais nas diferentes categorias.
Aos onze títulos de Michael Phelps há que juntar ainda as duas medalhas de bronze conquistadas em Atenas. Com treze medalhas olímpicas no total, Michael Phelps pode ainda bater o recorde, de atleta masculino com mais medalhas olímpicas, detido pelo ginasta soviético Nikolai Andrianov, vencedor de 15 medalhas (sete de ouro, cinco de prata e três de bronze, em Munique 1972, Montreal 1976 e Moscovo 1980).
publicado por armando ésse às 08:43

Agosto 13 2008

O “Baltimore Kid” tornou-se hoje no atleta com maior número de medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, depois de ganhar mais duas em Pequim. O nadador norte-americano bateu o recorde de medalhas de ouro ao vencer as finais dos 200m mariposa e da estafeta 4x200m livres com mais dois recordes mundiais (1m52s03 e 6m58s56), na piscina do Cubo de Água, em Pequim.
A grande figura dos Jogos Olímpicos de Pequim, fica assim a três medalhas de ouro de cumprir o seu objectivo de ganhar oito medalhas de ouro em Pequim e de bater o recorde do seu compatriota Mark Spitz, que conquistou sete medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1972.
Com onze medalhas de ouro em três Olimpíadas (Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008), Michael Phelps supera as nove medalhas douradas conquistadas por Carl Lewis, Mark Spitz ,Paavo Nurmi e Larissa Latynina.
A juntar a estas onze medalhas já conquistadas há o facto de cada vez que Michael Phelps entra na água, bater mais um recorde mundial. Neste momento já bateu por 26 vezes os recordes mundiais nas diferentes categorias.
Aos onze títulos de Michael Phelps há que juntar ainda as duas medalhas de bronze conquistadas em Atenas. Com treze medalhas olímpicas no total, Michael Phelps pode ainda bater o recorde, de atleta masculino com mais medalhas olímpicas, detido pelo ginasta soviético Nikolai Andrianov, vencedor de 15 medalhas (sete de ouro, cinco de prata e três de bronze, em Munique 1972, Montreal 1976 e Moscovo 1980).
publicado por armando ésse às 08:43

mais sobre mim
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11

19
20
21
22

26
27
28
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO