A FÁBRICA

Fevereiro 09 2005


Auto-retrato, 1985

Lucian Freud nasceu em 1922, neto de Sigmund Freud, é considerado o maior pintor britânico vivo, depois da morte de Francis Bacon. É o grande pintor figurativo pós-moderno, herdeiro da tradição iconoclasta do Renascimento. Pinta o corpo nu, despojado, solitário, do nascimento à morte. Talvez por ter sido sempre figurativo, um realista, num mundo que até há pouco tempo só valorizava o abstrato, Freud foi desprezado durante décadas.Insultado e ignorado, Lucian Freud disse que a essência da sua pintura, é a decadência do corpo humano. Por trás de modelos definidos perpassa algo invisivelmente repulsivo. As telas de Freud não são as pessoas, mas sim as intrepretações de pessoas. Lucian Freud na pintura, como o seu avô na psicologia, tentou devolver a humanidade à realidade ordinária.

publicado por armando ésse às 07:10

É realmente impressionante este auto-retrato de Lucian Freud. O anti herói da pintura moderna.
Anónimo a 9 de Fevereiro de 2005 às 14:02

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Fevereiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

18

20
23
25

27


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO