A FÁBRICA

Fevereiro 11 2008

Mary Louise Streep nasceu a 22 de Junho de 1949, no Estado americano de Nova Jérsia, filha de executivo e de uma artista plástica. Meryl Streep tornou-se conhecida pela capacidade de assumir a identidade das personagens que interpreta com uma tal perfeição que torna qualquer representação absolutamente credível. A sua carreira iniciou-se nos palcos da Broadway em espectáculos como “227 Wagons Full of Cotton”, que lhe valeu a primeira nomeação para um Tony, o prémio mais importante do teatro nos Estados Unidos.
A sua estreia no cinema aconteceu em 1977 com Julia, filme de Fred Zinnemann, em que contracenava com veteranas de Hollywood como Jane Fonda ou Vanessa Redgrave. Em 1978, com a sua prestação na mini-série televisiva Holocausto, venceu um Emmy.
O primeiro filme pelo qual chamou a atenção da Academia foi o filme de Michael Cimino, O Caçador (1978), pelo qual recebeu uma nomeação para Melhor Actriz Secundária. No ano seguinte, com Kramer Contra Kramer, de Robert Benton, venceu o troféu nessa categoria e estava confirmado o seu verdadeiro talento cinematográfico. Em 1980, entra no filme A Amante do Tenente Francês de Karel Reisz, que lhe valeu a primeira nomeação ao Óscar, como actriz principal.
Nos anos 80 continuou a fazer bons filmes e a receber prémios ou pelo menos nomeações para eles, como aconteceu com A Escolha de Sofia de Alan J. Paluka, em 1982, que lhe valeu o seu primeiro Óscar de Melhor Actriz. Depois do Óscar vem os filmes, Reacção em Cadeia de Mike Nichols, Estranhos na Mesma Cidade de Hector Babenco, que lhe valeu o segundo Óscar de Melhor actriz e Um Grito de Coragem, de Fred Schepisi.
Em África Minha de Sydney Pollack, desempenhou um dos papéis mais memoráveis da sua carreira e que lhe rendeu o Óscar de melhor actriz secundária. Quatro grandes interpretações, quatro nomeações aos Óscares e quatro sucessos da critica. Meryl Streep era já, por esta altura, considerada a melhor actriz em actividade.
Nos anos 90, o ritmo não abrandou e os estilos de filmes escolhidos por Meryl Streep continuavam a variar grandemente. Desde a acção em Rio Selvagem de Curtis Hanson , passando pelo drama romântico, ao lado do grande Clint Eastwood, em As Pontes de Madison County, Meryl Streep continuava com os seus desempenhos perfeitamente credíveis e de grande qualidade.
Em 1999, participa no filme de Wes Craven, Melodia do Coração, onde retrata uma professora de música que enfrenta todas os obstáculos burocráticos para garantir que os seus alunos continuam a poder estudar e aprender. Um filme que mais uma vez conquistou o júri da Academia que nomeou Meryl Streep pela 12ª vez para um Óscar.
A actriz foi novamente nomeada aos Óscares, por Inadaptado, (2002), de Spike Jonze e em 2006, no filme de David Frankel, O Diabo Veste Prada.
Meryl Streep é a recordista de nomeações aos Óscares de interpretação, entre actores e actrizes, tendo recebido 14 nomeações nas categorias de Melhor Actriz e Melhor Actriz Secundária.
publicado por armando ésse às 08:48
Tags:

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


19
20
21
22
23



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO