A FÁBRICA

Agosto 09 2005

“A Ética da Terra simplesmente amplia as fronteiras da comunidade para incluir o solo, a água, as plantas e os animais, ou colectivamente: O Planeta.

Isto parece simples: nós já não cantamos o nosso amor e a nossa obrigação para com a terra da liberdade e o lar dos corajosos ?

Sim, mas quem e o que propriamente amamos ?

Certamente não o solo, o qual nós mandamos desordenadamente rio abaixo.

Certamente não as águas, que assumimos que não tem função, excepto para fazer funcionar turbinas, flutuar barcaças e limpar os esgotos.

Certamente não as plantas, as quais exterminamos, comunidades inteiras, num piscar de olhos.

Certamente não os animais, dos quais já extirpamos muitas da mais bonitas e maiores espécies.

A Ética da Terra não pode, é claro, prevenir a alteração, o manejo e o uso destes recursos, mas afirma os seus direitos de continuarem existindo e, pelo menos em reservas, de permanecerem no seu estado natural…

As obrigações não tem sentido sem consciência, e o problema que nos defrontamos hoje, é a extinção da consciência social das pessoas para com o Planeta.”
Prof. Aldo Leopold no livro “Sand County Almanac”
publicado por armando ésse às 09:35

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Agosto 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

20

21
22



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO