A FÁBRICA

Fevereiro 17 2005

Na República Popular do Absurdistão, conhecida pelos norte-coreanos como República Democrática e Popular da Coreia (R.D.P.C.), e mundialmente conhecida como Coreia do Norte, ontem foi dia de comemoração do "principal feriado do país", o aniversário do "Querido Líder", Kim Jong-Il.
Kim Jong-Il nasceu em 1942, na "mais patriótica e revolucionária família coreana". O pai o fundador da República Popular do Absurdistão (R.D.P.C.), dirigiu o país até morrer em 1994. A mãe Kim Jong-suk falecida em 1949 foi " a maior mãe de todas as nobres mulheres que a História regista", o pequeno Kim nasceu "numa cabana improvisada com troncos de árvores, no acampamento onde seu pai comandava a guerrilha, no monte Paektu, o mais alto da Coreia. No céu surgiram nada menos que dois arco-íris e uma estrela cadente". Na realidade nasceu na Sibéria durante o exílio do seu pai. Estudou na Universidade Kim Il-Sung e depois de apresentar uma tese sobre as teorias agrárias do pai, foi trabalhar para um dos organismos do Partido dos trabalhadores Coreanos. É atribuida a Kim Jong-Il uma infindável lista de livros, que inclui manuais sobre jornalismo e tratados sobre cinema, sobre agricultura, sobre medicina, sobre indústria, sobre tudo, no entanto a obra memorável de Kim é o seu livro "O Socialismo é uma Ciência" que para a imprensa local constitui mesmo " um grande acontecimento na História da Humanidade".Em 1974, entrou para o Politburo do partido e terá sido nessa altura que Kim Il-sung o escolheu como seu sucessor. O tio do jovem Kim, Kim Yong-ju, considerado o numero dois do regime, deixou então de ser visto em público, reaparecendo apenas 20 anos mais tarde, quando o sobrinho era já Comandante Supremo das Forças Armadas, com o posto de marechal.Ontem foi "dia de festa para os povos progressistas de todo mundo" pelo comemoração do 63º aniversário do "Querido Líder", acontecimento que, "foi celebrado em todo mundo, do Bangladesh à França, da Polónia ao Paquistão, da Guiné a Singapura, da Rússia à Malásia" declarou a agência KCNA, norte-coreana.
Isto é quase cómico mas este mentecapto para além de oprimir todo um povo, tem armas nucleares que certamente, não terá nenhum remorso em as utilizar se ameaçarem o seu regime.
publicado por armando ésse às 13:00

Não gosto nada da Administração norte-americana, mas se o arriassem do poder ficaria contente.O mundo ficaria melhor sem este palhaço nuclear.
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 16:26

mais sobre mim
Fevereiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

18

20
23
25

27


pesquisar
 
blogs SAPO