A FÁBRICA

Maio 27 2008

O realizador, produtor e actor Sydney Pollack morreu ontem na sua casa de Pacific Palisades, em Los Angeles, Califórnia. O realizador de “África Minha” e “Tootsie” tinha 73 anos e lutava há dez meses contra o cancro.
Sydney Pollack que era considerado por muitos o último grande realizador romântico de Hollywood, nasceu a 1 de Julho de 1934, em Lafayette no estado norte-americano do Indiana, era o mais velho de três filhos de David Pollack, um ex-pugilista profissional que depois se tornou farmacêutico, e Rebecca Miller, uma dona de casa, que morreu aos 37 anos, quando Pollack tinha apenas 16 anos. Contra a vontade do pai, que queria que ele fosse dentista, Pollack mudou-se para Nova Iorque, após terminar o liceu, para se tornar actor. De 1952 a 1954, estudou com Sanford Meisner, na Neighborhood Playhouse School of the Theatre, tornando-se de seguida, o assistente do professor.Depois de dois anos na tropa, voltou para Neighborhood Playhouse e continuou a dar aulas. Em 1958, casou-se Claire Griswold. Sydney Pollack começou a sua carreira no teatro, e ganhou fama como realizador de Televisão na década de 60. A sua estreia como actor aconteceu em 1962 no filme "Obsessão de Matar", ao lado de Robert Redforfd.
Apesar de ter começado como actor, foi na realização que Sydney Pollack mais se destacou. Para os amantes de cinema, Sydney Pollack ficará para sempre, ligado à adaptação para cinema do romance de Karen Blixen, África Minha, filme que fez contracenar Robert Redford e Meryl Streep e que em 1986, de 11 nomeações para as estatuetas douradas, arrebataria sete Óscares, entre os quais os de Melhor Realizador e de Melhor Filme.
Três anos antes, em 1983, já havia sido indicado para a estatueta de melhor realizador com o inesquecível “Tootsie”, filme superiormente protagonizado por Dustin Hoffman. “The Way We Were” (1973), com Robert Redford e Barbra Streisand é outro dos seus grandes sucessos comerciais.
Com o realizador britânico Anthony Minghella, que desapareceu em Março passado, Sydney Pollack mantinha a produtora Mirage Enterprises, etiqueta com que saiu o seu último trabalho, o documentário “Sketches of Frank Gehry”, de 2007. Em Agosto do ano passado, o realizador apresentou os primeiros sinais de que tinha cancro, abandonando o projecto de um documentário sobre as presidenciais americanas, mais particularmente sobre o caso da recontagem de votos na Flórida, que estava a filmar para a televisão HBO.
Até, sempre.
publicado por armando ésse às 11:44

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

15
16

22



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO