A FÁBRICA

Março 03 2008

Armando de Sousa 1935-2008
Meu pai, companheiro meu amigo.
Aquele velhote que estava ali deitado
Contando-me casos e histórias da sua vida
As suas derrotas e as vitórias do passado.

Sem forças para caminhar sozinho
Estendi-lhe a mão, sempre estive a seu lado.
Até este triste dia que a vida nos separou
Amigo velho, meu querido pai amado.

Muitas vezes não tive paciência
Causando-te certamente grande dor.
Não ouvi e não segui os teus conselhos
Certamente dados com grande amor.

Peço perdão, mas a vida foi-me ensinando
Que conselhos de pai são amor
Com a tua ausência estou sentindo
Que afinal, não fui justo com o teu valor.
publicado por armando ésse às 10:15

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14


23
29

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO