A FÁBRICA

Novembro 22 2007

Luiz Felipe Scolari nasceu a 9 de Novembro de 1948, em Passo Fundo, no Estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Apelidado de “Felipão” pelos seus compatriotas, Scolari iniciou a sua carreira desportiva aos 19 anos, como defesa central da equipa Aymoré, de São Leopoldo, seguindo os passos do seu pai, Benjamim Scolari, um dos melhores defesas centrais brasileiros da época.
A carreira de Scolari enquanto jogador foi marcada pela sua forte presença, distinguindo-se pelo espírito de liderança, nunca sendo um jogador tecnicamente muito dotado, foi, no entanto, consistentemente titular e capitão das equipas em que jogou.
Após a sua estreia no Aymoré, Scolari, transferiu-se em 1973 para o Caxias, clube de maior importância, em que haveria de permanecer durante sete anos. Passou, ainda, pelos clubes Juventude, Novo Hamburgo e, finalmente, CSA, de Alagoas, clube que assistiu ao fim da sua carreira enquanto jogador, em 1982, e que o acolheu na sua primeira experiência enquanto treinador. Entretanto formou-se em Educação Física na Universidade de Porto Alegre, com especialização em futebol e voleibol.
No início da sua carreira como treinador, conseguiu alguma notoriedade à frente do Grêmio Esportivo Brasil, conseguindo o título de Campeão do Interior do Rio Grande do Sul e o segundo lugar no Campeonato Gaúcho. Após passar pelo Al Sabbab, na Arábia Saudita, Scolari treinou o Criciúma, clube com o qual conquistou o seu primeiro título nacional, a Copa do Brasil de 1991.
Em 1993, iniciou um percurso triunfante de quatro anos durante os quais alcançou Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Taça dos Libertadores, Recopa Sul Americana, Taça Mercosul à frente do plantel do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.
Em 1997, foi convidado para treinar o Palmeiras e, durante a sua permanência neste clube, conquistou, novamente, tanto o título nacional como a Copa dos Libertadores da América. Após uma breve passagem pelo Cruzeiro, Luiz Felipe Soclari tornou-se o treinador da selecção brasileira em 2001, pegando no «escrete» numa fase difícil na qual até o apuramento para o Mundial da Coreia e do Japão parecia posto em causa. O seu carisma impôs-se e Luiz Filipe Scolari tornou o Brasil Penta Campeão Mundial, em 2002.
Luiz Felipe Scolari foi por duas vezes considerado o melhor treinador da América do Sul, em 1999 e 2002, e nesse mesmo ano, recebeu o Prémio de Melhor Treinador do Mundo.
Luiz Felipe Scolari foi o seleccionador escolhido para assumir o comando técnico da equipa portuguesa depois do desaire lusitano no Mundial de 2002, na Coreia. "Felipão" chegou a Portugal em fins de 2002 com o título mundial como maior trunfo do seu currículo e conseguiu que a selecção portuguesa se sagrasse vice-campeã no Euro 2004, do qual Portugal foi o país anfitrião.
Neste Campeonato Europeu, Portugal conseguiu a sua melhor classificação de sempre, tendo chegado à final, onde perdeu contra a Grécia, a única equipa que venceu, por duas vezes, a selecção nacional.
Em 2006, após uma magnífica fase de apuramento, Luiz Felipe Scolari, leva a Selecção Portuguesa às meias-finais do Mundial, onde Portugal acabou por ser afastado da final pela França. Na disputa do terceiro e quarto classificados, Portugal voltou a perder, desta vez com Alemanha, o que não invalidou, de ter sido considerada uma excelente classificação, o meritório quarto lugar.
Neste Campeonato do Mundo, Luiz Felipe Scolari tornou-se o primeiro treinador da história dos Mundiais a obter 11 vitórias consecutivas: sete pelo “Escrete” durante o Mundial da Coreia - Japão, em 2002, e quatro “pela Selecção das Quinas” no Mundial da Alemanha.
No decorrer da fase de apuramento para o Euro 2008, Luiz Felipe Scolari, esteve momentaneamente ausente do banco da selecção portuguesa. Em 12 de Setembro de 2007, no fim do jogo Portugal - Sérvia, para a fase de apuramento do Euro 2008, a realizar-se na Aústria e Suiça, na sequência de um incidente com o defesa sérvio Dragutinovic, uma tentativa de agressão de Scolari, a Comissão de Controlo e Disciplina da UEFA puniu o treinador da selecçaõ nacional com três jogos de suspensão e 12.000 euros de multa.
Este castigo impediu Felipe Scolari de se sentar no banco em três importantes jogos de apuramento para o Euro 2008 – visitas ao Azerbaijão e Cazaquistão (13 e 17 de Outubro 2007) e na recepção à Arménia (17 de Novembro 2007).
No último jogo da fase de apuramento, entre a Selecçaõ Portuguesa e a Finlândia, realizado em 21 de Novembro de 2007, no Estádio do Dragão, no Porto, Luiz Felipe Scolari, comandou a Selecção das Quinas, a mais um apuramento para a fase final do Campeonato da Europa de Futebol. Portugal terminou em segundo lugar no seu grupo atrás da Polónia, somando vinte sete pontos, menos dois que o primeiro classificado. Este apuramento, foi a quarta classificação consecutiva de Portugal para Europeu e a quinta em todo o seu historial.
Depois de uma carreira inteiramente ligada ao desporto-rei, Luiz Felipe Scolari tornou-se um treinador de topo a nível internacional. Excelente condutor de homens e metódico, Luiz Felipe Scolari, deixa trabalho feito por onde passa. Com fama de duro e disciplinador dentro do grupo de trabalho, é paradoxalmente, idolatrado por jogadores, colaboradores e mesmos dirigentes. Primeiro defensor dos jogadores, não se coíbe a ter querelas públicas com jornalistas ou dirigentes de clubes, se para tal for necessário. Figura polémica para uns e incontestada para outros, "Felipão" é, na realidade, um dos melhores treinadores do mundo.
publicado por armando ésse às 11:41
Tags:

mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
15
17

18
19
23
24



pesquisar
 
blogs SAPO