A FÁBRICA

Setembro 21 2005

A ex-presidente da Câmara de Felgueiras Fátima Felgueiras foi detida hoje pelas autoridades policiais portuguesas no aeroporto de Lisboa, onde chegou às 7:00 vinda do Rio de Janeiro, no Brasil, disse à Lusa fonte policial.
A fonte da Polícia Judiciária adiantou que a autarca pediu para ser detida, o que foi cumprido pela PJ, que estava na posse de um mandado de detenção emitido pelo Tribunal da Relação de Guimarães.
Fátima Felgueiras deverá agora ser conduzida ao Tribunal Judicial de Felgueiras onde será ouvida, provavelmente ainda hoje, pelo delegado do Procurador da República.
Fátima Felgueiras vai entregar ao Tribunal um requerimento solicitando a alteração do regime de prisão preventiva a que foi sujeita em Maio de 2003, data em que se fugiu para o Brasil.
No documento, a ex-autarca argumenta que já não existem as três razões invocadas pela Relação para lhe impor aquela medida: o perigo de perturbação do inquérito, o de continuação da alegada actividade criminosa na Câmara e o de fuga.
No primeiro caso, lembra que o inquérito está terminado pelo que não pode nele intervir, no segundo, assinala que já não governa os destinos da Câmara, dado ter renunciado ao mandato, e, no terceiro, usará o argumento de que regressou voluntariamente do Brasil para "provar" a sua inocência em Tribunal.
Caso o Tribunal não lhe conceda a liberdade, poderá manter a prisão preventiva, ou alterar a medida de coacção, optando pela prisão domiciliária, pelo pagamento de uma caução, ou mesmo pela imposição do sistema de pulseira electrónica.
Ao regressar a Portugal, Fátima Felgueiras cumpre a promessa feita a 03 de Agosto ao Tribunal de Felgueiras, e concretiza aquilo que vinha dizendo desde que foi para o Brasil, para fugir a um mandado de captura das autoridades portuguesas.
Fátima Felgueiras está acusada de 23 crimes, seis dos quais de corrupção passiva para acto ilícito e quatro de abuso de poderes.
O caso, conhecido como o "saco azul de Felgueiras", envolve 14 outros arguidos, estando julgamento marcado para dia 11 de Outubro em Felgueiras.
A autarca sempre se disse "inocente", garantindo que o conseguirá "provar em julgamento" e "nunca geriu qualquer saco azul ilegal, em benefício próprio, do PS ou do Município".

A ex-autarca Fátima Felgueiras, invocou a imunidade dos candidatos autárquicos para evitar a prisão preventiva, disse à Lusa fonte da Polícia Judiciária.
A mesma fonte disse que a ex-presidente da Câmara de Felgueiras pediu à Polícia Judiciária do Porto, em cujas instalações se encontra detida, para transmitir o seu pedido de imunidade ao Tribunal Judicial de Felgueiras. Felgueiras ficará nas instalações da PJ do Porto a aguardar a decisão do Tribunal.
O pedido de imunidade significa que Fátima Felgueiras decidiu levar por diante a sua candidatura como independente à Câmara de Felgueiras, anteriormente formalizada por um grupo de apoiantes.
Além dos telejornais terem de que falar à hora do almoço, mostrando uma vez mais, o lixo de informação a que nos habituaram, a senhora arrisca-se sériamente, a ser reeleita presidente da Câmara de Felgueiras.
publicado por armando ésse às 09:29

mais sobre mim
Setembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

13
17

18
19
24

25
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO