A FÁBRICA

Fevereiro 14 2008

Philip Anthony Hopkins nasceu no último dia do ano de 1937, em West Glamorgan, no Pais de Gales. A sua vida como actor principiou nos palcos de teatro londrinos, na década de sessenta.
Em 1967, tem um pequeno papel no filme The Wihte Bus, de Lindsay Anderson. Em 1968, aparece em grande plano, no filme de Anthony Harvey, O Leão No Inverno, ao encarnar Ricardo Coração de Leão. Contracenava com grandes actores como eram Peter O´Toole, Timothy Dalton e Khaterine Hepburn, mas o desempenho do jovem Anthony Hopkins foi muito bem recebido pela crítica.
Quando todos pensavam que Anthony Hopkins, que tinha as portas abertas em Hollywood e do cinema de produção inglesa, para fazer uma carreira no cinema, preferiu dividir-se nos vinte anos seguintes pelos palcos e pelas séries de televisão. Foi uma das estrelas mais cintilantes dos teatros londrinos durante esta época e ainda conseguiu vencer dois Emmys, pelos seus desempenhos em The Bunker e The Linderberg Kidnapping Case.
Em 1980, tem uma fuga do teatro para participar no filme David Lynch, O Homem Elefante. No final dos anos 80, e depois de se ter consagrado como um dos maiores actores de teatro ingleses, Anthony Hopkins decide dedicar-se ao cinema.
Em 1990 tem um grande desempenho no filme de Michael Cimino, A Noite do Desespero, mas é no ano seguinte, ao encarnar, Hannibal Lecter, no filme de Jonathan Demme, O Silêncio dos Inocentes, que Anthony Hopkins chega a estrela de primeira grandeza na constelação de Hollywood. A sua performance foi brilhante, sendo reconhecida pela Academia de Hollywood, que lhe atribuiu o Óscar de melhor Actor do ano.
Imediatamente após o sucesso de, O Silêncio dos Inocentes fez alguns filmes menores na sua carreira cinematográfica. Em 1993 entra no filme de James Ivory, os Despojos do Dia, que lhe valeu mais uma nomeação para os Óscares. Não recebeu o Óscar da Academia mas recebeu o título de Sir, de sua Majestade a Rainha Isabel II.
No ano seguinte, entra no filme de Oliver Stone, Nixon, onde dá a vida ao polémico presidente norte-americano. Um desempenho convincente e mais uma nomeação para o Óscar de melhor actor. Em 1997, entra no filme Amistad, de Steven Spielberg, interpretando o presidente americano John Quincy Adams. Outra soberba interpretação, e mais uma nomeação aos Óscares, desta vez, ao Óscar de melhor actor secundário.
A partir desta altura Anthony Hopkins, tem esporadicamente feito cinema, sem que os filmes por ele protagonizados tenham tido muita aceitação da crítica e do público.
Em 2005, Anthony Hopkins foi eleito o melhor actor britânico de todos os tempos numa votação organizada pelo Teatro Old Vic, de Londres.
Anthony Hopkins não construiu uma longa carreira na Sétima Arte, mas a sua versatilidade entre o teatro, a televisão e o cinema, deram-lhe um lugar na arte de entretenimento, que muito poucos poderão sonhar em alcançar. É sem duvida um dos actores mais completos dos últimos 20 anos.
publicado por armando ésse às 21:03
Tags:

mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


19
20
21
22
23



pesquisar
 
blogs SAPO