A FÁBRICA

Novembro 14 2007

Cumpre-se hoje 100 anos do nascimento de Astrid Lindgren, mundialmente famosa pela criação da personagem Pipi das Meias Altas.
Astrid Anna Emilia Ericsson, depois do casamento Lindgren, nasceu a 14 de Novembro de 1907, em Vimmerby, Smaland, filha de agricultores, pôde crescer em liberdade na quinta dos pais, que mantinham o costume de contar histórias aos quatro filhos, encorajando possíveis esforços literários. Em muitos dos seus livros, a escritora descreve lugares e aventuras que experimentou na sua infância.
Aos dezoito anos de idade engravidou e, face à reacção da família, optou por se mudar para Estocolmo. Fez estudos técnicoprofissionais para poder vir a tornar-se administrativa, tendo conseguido uma colocação no Real Automóvel Clube da Suécia. Em 1931, casou com Sture Lindgren.
Astrid Lindgren tornou-se conhecida internacionalmente como a criadora da Pippilotta Viktualia Rullgardina Krusmunta Efraemsdotter Laangstrump, ou seja, Pipi das Meias Altas, uma rapariga órfã, de sardas irreverentes, meias altas e tranças ruivas que vive sozinha com um macaco e um cavalo, dona de uma árvore que dá chocolates e limonadas e de uma mala cheia de ouro.
Astrid Lindgren começou a criar as suas histórias quando a sua filha Karin ficou doente aos 7 anos e pediu que lhe contasse as histórias de Pipi das Meias Altas. Na época em que foram publicadas (1945), as suas aventuras divertiram os mais novos, mas chocaram alguns críticos que temeram o efeito adverso na educação das crianças. A sua abordagem fantástica, desconcertante para alguns, do universo infantil, nascia, segundo a autora, "de uma tentativa de divertir a criança que havia em si e, através dela, outras crianças".
Apesar de ter sido um grande sucesso, Astrid Lindgren não encontrou receptividade para editar imediatamente as suas histórias. A sua primeira tentativa fracassou pois o editor não queria ter responsabilidade por histórias que mostravam crianças brincando e desarrumando tudo à sua volta. Felizmente, Astrid Lindgren procurou outro editor, que com os contos de Astrid Lindgren se salvou a si mesmo da falência. Graças a ele, o mundo pode conhecer as lindas histórias de Astrid Lindgren.
As aventuras de Pipi das Meias Altas, foram passadas para uma série de televisão nos anos sessenta que obteve um sucesso estrondoso em todo o mundo. A série passou em Portugal nos anos setenta.
Na década de 60 Astrid Lindgren protestou contra a Guerra do Vietname e, em 1976, resolveu empreender uma campanha contra a injustiça nos impostos do governo sueco, quando chegou à conclusão que lhe eram cobrados cento e dois por cento dos seus rendimentos. Foi também a responsável pela aprovação de uma lei em 1988, em favor dos direitos dos animais, que ficou conhecida como Lex Astrid.
Astrid Lindgren escreveu mais de cem obras, entre romances, contos adaptados ao cinema e televisão, livros de canções e poesia - e recebeu importantes distinções, nomeadamente os prémios literários Hans Christian Andersen, em 1958, Lewis Carrol, em 1973, o International Book Award, da Unesco, e o Right Livelihood Award, também conhecido como “Prémio Nobel Alternativo” em 1993 . Astrid Lindgren, foi traduzida para 86 línguas e vendeu mais de 80 milhões de livros.
Os seus livros têm quase sempre como cenário o campo e como personagens principais crianças, reflectindo a sua própria experiência. As suas histórias diferem muito dos clássicos infantis da época. Nos seus artigos de 1939 e 1949, Astrid Lindgren defendia os direitos das crianças a serem tratadas como seres humanos sem serem oprimidos. Na sua época Astrid Lindgren revolucionou a literatura infantil da mesma maneira que antes fizera Lewis Carrol e agora o faz J.K. Rowling.
Astrid Lindgren faleceu em Estocolmo, após doença prolongada, em 28 de Janeiro de 2002.
Para honrar a sua memória, e fomentar a literatura infantil e juvenil a nível mundial, o Governo Sueco estabeleceu um prémio internacional em sua memória: O Prémio de Literatura em Memória de Astrid Lindgren (ALMA – Astrid Lindgren Memorial Award).
O Prémio no valor de cinco milhões de coroas suecas é o maior prémio internacional de literatura infantil e juvenil, e o segundo maior prémio de literatura do mundo. O Prémio é atribuído todos os anos a um ou a mais premiados, independentemente do idioma ou nacionalidade. As obras deverão ser de alta qualidade artística e marcadas pelo humanismo profundo que caracterizava Astrid Lindgren.
publicado por armando ésse às 10:51
Tags:

mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
15
17

18
19
23
24



pesquisar
 
blogs SAPO